Os perigos que rondam os ambientes climatizados

Nem todos atentam para o fato de a falta de manutenção nos sistemas e aparelhos de ar-condicionado representar risco para a saúde das pessoas que permanecem em ambientes climatizados, além de afetar a durabilidade dos equipamentos, lembra o Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Paraná (CREA-PR).

Por definição, o processo de tratamento do ar é destinado a manter os níveis adequados de qualidade do ar interior para controle da temperatura, umidade, velocidade, material particulado, partículas biológicas e teor de dióxido de carbono (CO²). Em síntese, muito mais do que manter uma temperatura agradável, os sistemas de ar-condicionado precisam manter a qualidade do ar de um ambiente.

Comentando o alerta do CREA-PR, o engenheiro mecânico José Carlos Wescher ressalta que, sem manutenção, os aparelhos podem se tornar viveiros para microorganismos nocivos à saúde, como bactérias, fungos, protozoários e outros agentes biológicos.

“Além disso, os sistemas de ar-condicionado podem propagar, por exemplo, pó, pólen, gases tóxicos ou mesmo fumaça. Por isso, para evitar problemas é fundamental contar com o acompanhamento de profissionais habilitados junto ao CREA-PR (e demais Estados) para o projeto, a instalação e manutenção periódica de sistemas de ar-condicionado”, recomenda Wescher.

A obrigação dos estabelecimentos comerciais – Wescher diz que os ambientes climatizados artificialmente, de uso público e coletivo – como shoppings, bancos e espaços comerciais em geral, devem ser avaliados constantemente, para determinar com o máximo de exatidão possível a qualidade do ar em circulação.

“Para isso, são realizados diversos tipos de testes, como análise de bioaerosol, concentração de dióxido de carbono, determinação da temperatura, umidade e velocidade do ar e concentração de aerodispersóides (minúsculas partículas, líquidas ou sólidas, dispersas no ar). Todos esses testes devem ser feitos a cada seis meses”, afirma o engenheiro.

Nas empresas – No caso de ter funcionários que atuam em ambientes climatizados, as empresas devem ser cuidadosas com a manutenção dos equipamentos, para evitar problemas com a Justiça do Trabalho, alerta José Carlos Wescher.

O engenheiro diz que corre risco de multa uma empresa que não realize a manutenção adequada, se um de seus funcionários provar que contraiu doença em decorrência da falta de limpeza do equipamento.
Além da indenização ao funcionário – comenta ainda o engenheiro, a falta de manutenção pode gerar uma ação civil pública, o que obriga a empresa a realizar a limpeza e manutenção, compulsoriamente.

A manutenção periódica evita todos esses problemas e assegura a qualidade do ar, contribuindo para a saúde dos usuários dos ambientes com ar-condicionado. Dúvidas sobre o registro ou habilitação do profissional podem ser consultados nos sites dos Conselhos Estaduais, menu Consulta Pública.

Fonte: Imóvel Web

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.