Meu inquilino está inadimplente, e agora?

Todo tipo de imóvel é um investimento, e além de investirmos uma vez que compramos, podemos ainda obter mais lucros alugando-o, mas para isso é preciso sempre ter uma boa administração, para que você não tenha grandes problemas no futuro.

Primeiramente vamos falar um pouco sobre os apartamentos, ou seja, prédios que tem uma taxa administrativa mensal, que se chama condomínio para os cuidados dele próprio seja ela para manutenção ou pagamento de funcionários ou para inovações e benfeitorias. O pagamento desta taxa é obrigatória, pois segundo o Artigo 748 o atraso de três alugueis leva o imóvel a penhora.

Ainda falando sobre o condomínio quando alugado o apartamento existem três opções de administrar este pagamento:

Se alugado por uma imobiliária existe a possibilidade que ela administre esse pagamento para você, ou seja, assim que o inquilino pagar o valor acordado em contrato a imobiliária repassa o seu valor e paga as taxas,a outra forma é você mesmo ao receber o valor do aluguel, pode quitá-lo, ou ainda pode deixar que o próprio inquilino pague. A opção mais recomendada é que você pague, pois o apartamento está em seu nome, ou seja, pode perder o apartamento por falta de pagamento.

Lembremos também do IPTU (imposto predial e territorial urbano) que pode ser cobrado em qualquer tipo de imóvel, que uma vez atrasado é cobrado multa e juros, podendo também ser leiloado ou penhorado. Exceto pessoas isentas como: Os funcionários públicos municipais que tiverem rendimentos mensais de até três salários mínimos e imóveis do padrão simples, precário ou médio, são isentos do pagamento do imposto, assim como militares ou membros da Marinha Mercante (ex-combatente), viúva de militar ou membro da marinha mercante e filhos menores e/ou incapazes, de acordo com o Código Tributário Municipal. Para ter acesso à isenção, é preciso entrar com um processo solicitando o reconhecimento do direito, anexando documentação comprobatória. O contribuinte que tenha imóvel cujo valor do imposto fique inferior ao valor mínimo da parcela (que esse ano é de R$ 28,41) também recebe isenção.

Há inúmeras formas de garantias locatícias, as que favorecem mais os proprietários e outras que favorecem mais os inquilinos veja mais no nesse link:

Os proprietários que já alugam seus imóveis há algum tempo, já possuem experiências anteriores e por isso sempre preferem garantias que são mais favoráveis a eles, ou seja na hora de algum problema ou falta de pagamento ele não seja tão lesado.

Dentro destas condições, há um mito que o proprietário precisa esperar o inquilino fique vários meses sem pagar para promover a ação de despejo, mas na verdade se o pagamento é todo dia dez e dia onze ele ainda não pagou, já poderá dar entrada na ação judicial, mas o que normalmente ocorre é que tenta-se um acordo pois as ações judiciais são sempre caras e demoradas.

Dando entrada com a ação judicial o juiz já pode dar a ordem de despejo, assim o inquilino tem duas opções:

1- Sair do imóvel

OU

2- Pagar a dividia integral que consiste no valor do aluguel mais multa, juros moratórios, atualização monetária, reembolso pelas custas judiciais e honorários do advogado do locador.

Lembrando que só poderá exigir do inquilino aquilo que estiver em contrato, por isso é muito importante que esteja muito bem elaborado o contrato e assinado.